ETF de Bitcoin

ETF de Bitcoin: tudo o que você precisa saber

Neste texto você vai aprender:

Criado em 2008, o bitcoin revolucionou mercados. Após alguns anos à margem do mainstream, hoje é referência absoluta entre as milhares de criptomoedas inventadas. Semana passada, a SEC – Securities and Exchange Commission (a CVM dos EUA) – autorizou a operação de 11 fundos atrelados ao bitcoin, o que gerou movimentação bilionária no mercado global. Neste post vamos falar sobre estes fundos, chamados de ETF de Bitcoin.

🐣 Nasceu assim

Há muito mistério sobre a criação do bitcoin. Satoshi Nakamoto teria sido seu criador, mas até hoje não se sabe quem ele é ou se o nome é um pseudônimo para um grupo de pessoas.

O fato é que, a partir de 2009, o bitcoin passou a ser conhecido pelo público, que também foi introduzido ao conceito de mineração, o processo através do qual a criptomoeda é gerada.

Quer saber mais sobre cripto? Baixe gratuitamente nosso e-book exclusivo! 

No Telescópio 🔭

A popularidade do bitcoin foi construída nos primeiros anos da década de 2010, quando seu valor passou de US$ 0,09 para mais de US$ 1.200, em 2013. Sempre muito volátil, chegou a voltar para perto de US$ 30 antes de iniciar uma sequência de altas que levaria sua cotação para próximo dos US$ 50.000, no início da década atual.

Sua fama de fazedor e destruidor de fortunas chamou a atenção de grandes investidores, que passaram a incluir pequenas posições da criptomoeda em seus portfólios. O problema era que, devido à falta de regulamentação, muitos investidores institucionais eram restritos ou vedados de operar com o bitcoin (e outras criptos).

A aprovação pela SEC da operação de fundos de ETF de bitcoin acaba funcionando como uma institucionalização das operações com a cripto mais famosa de todas. Agora, alguns trilhões de dólares a mais de investidores institucionais passam a poder operar neste mercado com mais intensidade.

No Microscópio 🔬

Os fundos liberados semana passada nos EUA são chamados de Spot Bitcoin ETFs, ou seja: o gestor adquire uma unidade da criptomoeda, emite cotas correspondentes e as vende ao investidor.

O que isso significa na prática? Que um operador regulamentado do mercado financeiro efetivamente guarda o bitcoin que o investidor compra. Até então, apenas fundos de derivativos, com contratos que apostavam em cotações futuras da cripto, estavam disponíveis no mercado.

Outra diferença é que agora o investidor não precisa recorrer às cripto exchanges, espécie de bolsa de valores exclusivas para trocas de bitcoins e outras moedas, com diferentes níveis de segurança (quem aí nunca ouviu falar de algum ataque hacker ou fraude em corretoras de cripto?).

Com a liberação da SEC, os ETFs de bitcoin passam a ser negociados nas bolsas de Nova York e na de Chicago. Um pouco mais de segurança, você não acha?

Como investir em ETF de Bitcoin

Abaixo, segue a lista dos 11 fundos de bitcoin que receberam autorização para operar:

✅ ARK 21Shares Bitcoin ETF (ARKB)
✅ Bitwise Bitcoin ETF (BITB)
✅ Fidelity Wise Origin Bitcoin Trust (FBTC)
✅ Franklin Bitcoin ETF (EZBC)
✅ Grayscale Bitcoin Trust (GBTC)
✅ Hashdex Bitcoin ETF (DEFI)
✅ Invesco Galaxy Bitcoin ETF (BTCO)
✅ iShares Bitcoin Trust (IBIT)
✅ Valkyrie Bitcoin Fund (BRRR)
✅ VanEck Bitcoin Trust (HODL)
✅ WisdomTree Bitcoin Fund (BTCW)

Consulte a sua conta broker global para verificar quais estão disponíveis, caso queira investir em bitcoin.

O que diferencia um fundo do outro? Basicamente, um fator: a taxa de administração.

Para atrair investidores, no momento, todos os grandes gestores zeraram suas taxas de administração para todos os investidores. Então, não faz diferença qual escolher, certo?

Errado. 😳

Assim que as isenções cessarem, as taxas começam a ser cobradas, e cada gestora tem as suas. No momento, não há como saber quais serão as taxas, mas muitas gestoras anunciaram quanto pretendem cobrar no futuro.

➡️ A BlackRock, com o fundo de código IBIT, divulgou que pretende cobrar 0,30% de taxa de administração ao ano.
➡️ VanEck (fundo de código HODL) e ARK (ARKB) pretendem cobrar 0,25% a.a.
➡️ A que se destacou (pelo menos na intenção) foi a Bitwise, anunciando que seu fundo Bitwise Bitcoin ETF (BITB) custará ao investidor 0,20% ao ano.

Se você estiver considerando ter um ETF de bitcoin em sua carteira, escolha um da lista e se prepare para bastante volatilidade. Após atingir a cotação máxima em dois anos, o bitcoin desabou 15% em horas, em um provável movimento de realização de ganhos após o lançamento dos ETFs.

Você tem estômago? Bons investimentos!

Aviso legal
Aqui é o momento em que tenho que avisar que nada neste texto configura sugestão de investimento. Para escolher boas opções para incluir em seu portfólio, estude bastante e conte com seu especialista em investimentos internacionais.

Quer receber textos sobre ativos internacionais no seu email? Inscreva-se na Ativos Globais, clicando no banner abaixo.

 

Quer receber novidades sobre investimentos mundiais?

5/5 - (1 vote)
Compartilhe

Assine nossa newsletter!