Vinho nacional: o impacto econômico das vinícolas brasileiras

impacto econômico das vinícolas brasileiras

Toda conversa fica mais interessante quando o assunto é vinho, concorda? Os amantes da bebida frequentemente elencam seus favoritos pertencentes a cada país, mas poucos sabem de fato impacto econômico das vinícolas brasileiras.

O Renascimento da Indústria Vitivinícola Brasileira

O fato é que por aqui, essa indústria vem sofrendo uma reviravolta que já deixa muito investidor (e bom apreciador da bebida) de olho nas possíveis oportunidades atuais e futuras. Dados da Associação Brasileira de Enologia (ABE) revelam que o consumo de vinhos no país abandonou a timidez e se sobressai no cenário mundial.

Vale a pena mencionarmos os fatores que têm feito o setor se destacar:

1️⃣ O consumidor, que antes mal sabia diferenciar um Cabernet de um Merlot, agora está mais versado na arte do vinho.

2️⃣ A qualidade da produção brasileira também tem melhorado significativamente.

3️⃣ A indústria no país vem investindo em tecnologia, conhecimento enológico, especialização, pesquisa e até mesmo rótulos capazes de rivalizar com os medalhões internacionais.

Diversidade Regional e Práticas Sustentáveis

Além disso, nosso país também possui diversas regiões vinícolas, oferecendo uma ampla gama de perfis e sabores de vinho. As principais são:

  • Vale dos Vinhedos na Serra Gaúcha
  • Campanha Gaúcha
  • São Joaquim
  • Planalto Catarinense
  • Vale do São Francisco na Bahia e Pernambuco

Cada uma possui características únicas de clima, solo e altitude, contribuindo para uma produção de vinhos distintos.

A diversidade do mercado brasileiro também é enriquecida por práticas sustentáveis, vinhos orgânicos e biodinâmicos, enoturismo, inovação e criatividade na produção. Esses elementos complementam o cenário do mercado de vinhos nacionais, demonstrando o potencial contínuo de crescimento e consolidação.

Mudança de Comportamento e Investimentos Recentes

E como quase todo setor no Brasil, as vendas do produto sofrem altos e baixos devido à oscilação no consumo da bebida.

No entanto, essa instabilidade não foi tão crítica, considerando o significativo crescimento durante a pandemia. O país subiu para a 14ª posição no ranking de mercados mais atraentes para vinhos, de acordo com a consultoria Wine Intelligence. Inclusive, o Brasil foi o país que mais cresceu no consumo de vinhos durante a pandemia, e a tendência, no longo prazo, é positiva.

E como já demos um leve spoiler, a mudança no comportamento do consumidor brasileiro foi decisiva para os últimos investimentos nessa indústria.

Nos últimos 12 anos, a população de consumidores regulares de vinho dobrou, chegando a 44 milhões em 2022. As mulheres têm ganhado maior participação nesse cenário, representando 54% dos consumidores regulares.

A presença do vinho também evoluiu nos ambientes, deixando de ser apenas uma bebida que acompanha pratos para se tornar protagonista em bares de todos os estilos. Ou seja, o vinho não é mais visto apenas como uma bebida sofisticada, sendo apreciado cada vez mais em ambientes informais.

A busca por novidades também é um impulsionador do impacto econômico das vinícolas brasileiras. A Evino, por exemplo, explora países menos conhecidos, como Bulgária, Romênia, Marrocos, Líbano e Israel, além de regiões brasileiras menos convencionais.

A busca por rótulos de países do Novo Mundo, como Austrália, África do Sul e Nova Zelândia, também cresce entre os consumidores brasileiros.

Boas notícias ⬆️

O segmento de espumantes é mais um que tem experimentado um crescimento notável. Registrou aumento de 2% no mercado nacional e 28% nos importados em 2022. 

E claro, com essa ascensão do consumo, houve uma explosão de interesse pelo mercado. Nos últimos dois anos, mais de 34% de novas importadoras de vinhos foram abertas, totalizando mais de 750 empresas em operação contabilizadas até o fim de 2022.

Nem tão boas notícias ⬇️

Contudo, com a alta das taxas de juros e a estabilização do consumo, prevê-se uma queda de aproximadamente 7% no volume de vinhos importados para fechar esse ano de 2023.

Esse cenário gerou uma onda de “aventureiros”. Durante a pandemia, eles decidiram ingressar independentemente no mercado, muitas vezes importando grandes quantidades com rótulos exclusivos.

No entanto, a competição acirrada e a concentração em vinhos superpremium podem representar desafios para esses empreendedores. Essa é uma ameaça à a sustentabilidade do mercado.

Transformação digital e e-commerce no impacto econômico das vinícolas brasileiras

Outra grande mudança no setor veio através do e-commerce, e a relação do brasileiro com o vinho tem transformado esse panorama No geral, as vendas online já representam mais de 25% do total, tornando o Brasil o terceiro maior mercado virtual de vinhos do mundo.

Grandes redes de supermercados também têm investido em espaços dedicados ao vinho, enquanto o consumidor brasileiro, aberto a experimentações, busca por rótulos diferentes e exclusivos.

Em termos monetários, o impacto econômico das vinícolas brasileiras foi de R$ 11 bilhões em 2019, empregando mais de 200 mil pessoas.

O crescimento do mercado interno, o aumento das vendas online e o fortalecimento do comércio varejista são fatores que contribuem para consolidar o Brasil como um player relevante no cenário vitivinícola mundial.

A digitalização também tem desempenhado um papel crucial na vitivinicultura brasileira. O uso de drones e sensores para monitorar e aumentar a eficiência na produção é uma tendência crescente.

Além disso, a digitalização contribui para a rastreabilidade e controle dos processos industriais, promovendo práticas sustentáveis e redução de custos.

Cooperação Global e Reconhecimento Internacional

No cenário global, a troca de experiências entre os mercados brasileiro e europeu revela desafios comuns e soluções compartilhadas. Essa aprendizagem mútua é fundamental para o desenvolvimento sustentável do setor vinícola.

A parceria entre produtores, enólogos e órgãos reguladores é crucial para manter o padrão de qualidade, conquistar reconhecimento internacional e gerar novas fontes de receita.

E como todo bom amante de vinho gostaria de ouvir, impacto econômico das vinícolas brasileiras também eleva a qualidade e a diversidade do vinho brasileiro, conquistando um espaço cada mais notável no cenário internacional. 

A trajetória ascendente do mercado de vinhos no Brasil tem como protagonistas produtores, consumidores e todos os apaixonados por essa bebida que transcende o simples ato de brindar, tornando-se uma experiência única.

Vai um vinho aí? 🍷

5/5 - (5 votes)

Preencha o formulário para iniciar o download