Conheça os Municipal Bonds (ou “munis”, para os íntimos)

Atualizado em 04 de dezembro de 2023

4 minutos de leitura

Por Redação Faz Capital

Emprestar dinheiro para o Governo não é novidade. Talvez você faça isso com frequência, investindo em títulos do Tesouro Direto, por exemplo. Mas você já ouviu falar em municipal bonds?

No Brasil, somente o Governo Federal pode emitir dívida, mas em diversos países outras instâncias públicas também podem financiar suas atividades através de títulos vendidos a investidores. É deles que vamos falar esta semana em Ativos Globais.

É municipal… mas estados e distritos também podem!

Nos EUA, além dos famosos e seguros treasury bonds, existem os MUNICIPAL BONDS.

Apesar do nome, estes títulos de dívida podem ser emitidos (além, obviamente, de municípios) por governos estaduais, distritais e até mesmo autoridades de trânsito. 🤔

Basicamente, um destes entes públicos decide o valor que precisa para determinado projeto, define o prazo e os juros dos bonds e os coloca no mercado financeiro à disposição de investidores.

🐣 Nasceu assim

As primeiras emissões de bonds deste tipo foram feitas séculos atrás, pelas cidades-estados italianas. Mas o mercado de munis, como são comumente chamados, ganhou grandes proporções na Nova York do século XIX.

O primeiro muni do mercado moderno foi emitido em 1812 para financiar a construção de canais no Rio Hudson. Em seguida, centenas de projetos, de estradas e ferrovias a pontes e túneis, passaram a ser financiados diretamente pelos investidores privados através desses títulos.

No Telescópio 🔭

Hoje, o mercado de municipal bonds supera os US$ 4 trilhões nos EUA. Parece muito?

É bastante dinheiro, mas não se compara aos mais de US$ 15 trilhões do mercado corporativo americano.

Outros países também contam com esta opção de investimento. É o caso de Reino Unido, Canadá, Austrália, Japão e Alemanha, mas é mais difícil encontrá-los disponíveis em sua conta global para aquisição.

Para acessar bonds de países que não os EUA, é mais prático fazê-lo por meio de algum ETF, como o Vanguard Total International Bond Index Fund (veja mais à frente).

No Microscópio 🔬

Da mesma forma que as debêntures incentivadas aqui no Brasil, os munis costumam ter isenção de impostos. Porém, esse benefício muitas vezes é restrito aos residentes da região onde são emitidos ou a cidadãos americanos.

Por isto, para um investidor brasileiro, o ideal é escolher opções que não sejam isentas, mas que paguem juros mais elevados, para compensar.

Os principais riscos de se investir em municipal bonds são o político, de crédito e de liquidez. Vamos a eles:

  • Risco Político: mudanças de governo de ocasião ou instabilidades estruturais na região que emitiu o bond podem elevar o risco de calote.
  • Risco de Crédito: alguns bonds usam como garantia ativos da obra ou as receitas do projeto a ser realizado. Caso estes fracassem, o risco de não pagamento aumenta.
  • Risco de Liquidez: os munis raramente podem ser resgatados antes do prazo acordado na emissão. Devem ser negociados no mercado secundário, e sua venda antecipada pode gerar grande volatilidade.

Como Investir em municipal bonds?

Investir diretamente em projetos locais fora do Brasil pode ser um desafio e tanto.

Imagine ter que estudar e avaliar a obra de uma ferrovia a ser construída nos confins da província canadense de Saskatchewan. Uma tarefa não muito fácil para nós, investidores comuns.

O ideal é contar com um financial advisor com conhecimento local ou que possa fazer um filtro mais aprofundado das alternativas.

Outra opção é escolher municipal bonds de localidades bastante conhecidas e que tenham pouca chance de dar calote, como os ricos estados americanos da Califórnia, do Texas e de Nova York ou cidades como Londres e Montreal.

Para títulos americanos, você pode consultar os disponíveis, bem como seus prazos e juros, aqui.

Quem não quer escolher os ativos individualmente pode deixar a gestão para um fundo profissional.

O fundo Vanguard Total International Bond Index faz justamente isso pelo investidor. Ele tem em carteira municipal bonds, além de americanos, de diversos países sólidos, aqueles que chamamos de grau de investimento.

Ficha Técnica do Vanguard Total International Bond Index Fund

  • Preço Unitário: US$ 48,87
  • Código de Negociação em Nova York: BNDX
  • Dividendos no ano: 2,06%
  • Retorno no Ano: 4,29%
  • Retorno em 5 anos: -9,92%
  • Ativos Totais: US$ 85,19 bilhões

*Valores de abertura do dia 27/11/2023

Aviso legal

Aqui é o momento em que temos que avisar que nada neste texto configura sugestão de investimento. Para escolher boas opções para incluir em seu portfólio, estude bastante e conte com seu especialista em investimentos internacionais.

Quer receber textos sobre ativos internacionais no seu email? Inscreva-se na Ativos Globais, clicando no banner abaixo.

Este post foi útil? Avalie