ETFs: o que são os Fundos de Índice e quais os principais?

ETFs

Você quer uma forma de investir em várias ações ao mesmo tempo, mesmo com pouco dinheiro, e ainda assim saber exatamente o que está comprando? Neste artigo, vamos mostrar as vantagens e desvantagens de investir em ETFs, além de apresentar alguns dos principais Fundos de Índice, como o BOVA11, o IVVB11 e até o HASH11 e o GOLD11!

Vamos te explicar TUDO que você precisa saber sobre esse tipo de investimento fantástico na Bolsa de Valores, e que muitas vezes é ignorado pelos investidores! 

Parece bom demais para ser verdade? Mas é verdade!

O QUE SÃO ÍNDICES DE AÇÕES?

Antes de entender o que é um ETF, existe um conceito essencial que você precisa conhecer.

Estamos falando do conceito de Índices.

Os índices são indicadores de desempenho de uma determinada carteira teórica de ativos, que têm como objetivo mensurar a valorização de um determinado setor do mercado ou segmento.

O exemplo mais clássico disso é… o Ibovespa!

O Índice Bovespa tem uma proposta clara: ser o principal indicador de desempenho das ações negociadas na B3 (a Bolsa brasileira) e reunir as empresas mais importantes do mercado de capitais brasileiro.

Para isso, como qualquer outro índice, o Ibovespa tem regras

Para entrar no índice, a ação precisa:

  • Estar entre os 85% de maiores ativos em ordem decrescente de Índice de Negociabilidade; 
  • Ter 95% de presença em pregão;
  • Ter, pelo menos, 0,1% do volume financeiro no mercado à vista (lote-padrão);
  • Não ser penny stock (aquelas cotadas a menos de R$ 1,00);

Isso torna o Ibovespa um grande “filtro” para mostrar apenas o resultado de ações representativas para o objetivo que o Índice busca cumprir.

Mas isso não basta.

É preciso mais um passo para o Índice fazer sentido.

Vamos pensar em um exemplo:

Primeiro, pense na Petrobras, talvez a empresa brasileira mais famosa de todas! A Petrobras, como todos sabem, é uma empresa petrolífera, e tem, hoje, R$ 382,7 bilhões em Valor de Mercado, e uma liquidez média diária de negociação na Bolsa de R$ 1,6 bilhão ao dia. Suas ações são PETR3 e PETR4, e ela obviamente está no Ibovespa.

Outra ação que também está lá é a Petz, que usa as ações PETZ3. A Petz é uma empresa do ramo de pet shop, e faz a comercialização de produtos e serviços para animais, como rações e petiscos, itens de higiene, medicamentos, acessórios, brinquedos e outros. Porém, o valor de mercado da Petz, hoje, é de “apenas” 3,36 bilhões de reais, menos de 1% do valor da PetrobrasAlém disso, sua liquidez média diária é de R$ 78 milhões negociados ao dia.

Por isso, não faria sentido uma queda das ações da Petz afetar o Ibovespa tanto quanto uma queda da Petrobras, não é? É por essa razão que as empresas nos Índices têm pesos diferentes. Isso pode ser feito de várias formas, mas, no Ibovespa, o critério é Valor de Mercado.

Por isso, se fôssemos representar o Ibovespa com seus pesos respectivos em um gráfico, ele ficaria mais ou menos assim:

Fonte: Gráfico próprio com dados da B3

 

Ou seja, cada ação que passa nas regras do Ibovespa pega uma “fatia” de tamanho diferente dessa “pizza”, e o que determina o tamanho dessa fatia é seu Valor de Mercado. Assim, o Índice consegue representar mais fielmente o impacto que cada ação de fato tem na carteira.

 

O QUE É ETF E COMO FUNCIONA?

Certo, todo esse papo de Índices pode ter parecido meio deslocado dos ETFs até agora, mas não é!

E vai ser muito mais fácil você entender o que são ETFs agora!

A sigla ETF é a abreviação de Exchange Traded Fund.

Fundamentalmente, o ETF nada mais é do que um Fundo de Investimento em Ações, mas que, em vez de estar disponível na área de “Renda Variável” ou de “Fundos” da sua corretora, está listado na Bolsa de Valores.

Assim como as ações de uma empresa de capital aberto, como as ações VALE3 da Vale ou BBAS3 do Banco do Brasil, você pode comprar e vender “cotas” de um ETF no home broker de sua corretora, e acompanhar seu código e cotação variando de minuto a minuto.

Porém, o ETF não é um Fundo de Ações normal…

Diferentemente disso, a carteira de um ETF não é montada por um Gestor, a partir de sua estratégia para tentar maximizar o retorno. A carteira de um Fundo de Índice é gerida a partir do processo de Gestão Passiva, ou seja, ela replica um Índice. O Gestor não pode decidir colocar essa ação ou aquela, mais peso nessa ou mais peso naquela… ele só obedece o Índice que o ETF segue.

Por exemplo, um Fundo de Índice que segue o Ibovespa terá aquela composição exata que te mostrei antes. Se o Ibovespa cair 1% um dia, o  ETF também vai cair praticamente 1%. Se ele subir 1%, sua cota do ETF vai subir aproximadamente 1% também. (É uma aproximação porque os ETFs têm taxa, o que altera um pouco esses movimentos)

 

QUAIS AS VANTAGENS E DESVANTAGENS DE INVESTIR EM ETF?

Essa natureza passiva das carteiras dos ETFs gera uma série de características próprias!

Vantagens de investir em ETFs:

  • Diversificação

A primeira e mais óbvia vantagem dos ETFs é a diversificação. Ao comprar cotas de um ETF, você já está comprando uma “cesta” com dezenas de ações de uma vez só. Investir em todas essas ações separadamente custaria muito dinheiro. Assim, o investimento em ETFs diminui o risco e proporciona uma grande diversificação  mesmo se você tiver pouco capital.

  • Economia de tempo

Ao adquirir um ETF, você não precisa gastar tempo analisando ação por ação. Você pode simplesmente entender as regras do Índice que ele segue e pronto. Você também não precisa avaliar o gestor do fundo, já que a estratégia é apenas replicar o desempenho de um Índice pré-definido. Portanto, investindo em ETFs você poupa tempo para fazer outras coisas que te interessam!

  • Baixo custo

Finalmente, vale mencionar que ETFs são muito baratos do ponto de vista de taxas. Justamente por haver pouco “trabalho de gestão”, a taxa de administração para ETFs é relativamente baixa quando comparada a de outros fundos. Ela gira em torno de 0,2% ao ano, enquanto, para Fundos de Ações tradicionais e de gestão ativa, é normal encontrarmos taxas que variam entre 2% e 3%.

 

Desvantagens de investir em ETFs: 

Porém, nem tudo são flores…

ETFs também têm desvantagens, como:

  • Baixo controle da composição da carteira

Embora a gestão refletindo um índice proporcione diversificação rápida e barata, além de economia de tempo, você abdica do controle. Você não decide em quais ações investe e não investe, e pode acabar colocando seu dinheiro em um ativo no qual não colocaria, ou deixar para trás um no qual gostaria de investir.

  • Sem benefício tributário

Diferente do que acontece com ações, o investidor não tem isenção de Imposto de Renda para vendas de ETFs que não ultrapassem R$ 20 mil. Para os ETFs, a alíquota é sempre de 15% sobre os lucros obtidos, não importando o volume da venda.

  • ETFs não pagam dividendos

Os ETFs, hoje, não pagam dividendos no Brasil. IMPORTANTE: Isso não quer dizer que você não recebe dividendos de ações, ou que eles somem ou vão pro bolso da gestão do fundo… Eles simplesmente são reinvestidos no próprio ETF automaticamente, antes de chegarem a você.

Para alguns investidores, isso pode ser uma benção, pois eles já reinvestiriam os dividendos nos ETFs de qualquer jeito. Porém, outros investidores gostam de receber o dinheiro mesmo, então isso poderia ser um ponto negativo.

Porém, vale ressaltar que isso deve mudar em breve, pois já foi aberta a porta para que ETFs que pagam dividendos cheguem à B3 em breve!

Os ETFs que já existem não começarão a pagar dividendos, mas devemos ver vários novos Fundos do tipo surgindo com essa proposta!

 

QUAIS OS PRINCIPAIS ETFs DISPONÍVEIS HOJE?

BOVA11 – O ETF DO IBOVESPA

Começando com um dos mais famosos, cujo foco é a Bolsa por completo!

Índice que segue: Ibovespa 

Busca representar: Resultado das empresas mais importantes do mercado de capitais brasileiro

Carteira: 

Fonte: Gráfico próprio com dados da B3

 

IVVB11 – O ETF PARA INVESTIR NO EXTERIOR

A gente não mencionou antes, mas os ETFs podem ser uma forma interessante de investir no exterior também! 

Índice que segue: S&P 500

Busca representar: Resultado das 500 principais empresas dos Estados Unidos

Carteira: 

Fonte: Seeking Alpha

 

HASH11 – O ETF DE CRIPTOMOEDAS

Além disso, ETFs também podem ser usados para acessar outros mercados, como o de criptomoedas!

Índice que segue: Nasdaq Crypto Index

Busca representar: Resultado das principais criptomoedas em circulação

Carteira: 

HASH11

Fonte: Gráfico próprio com dados do HashDex

 

GOLD11 – O ETF DE OURO

Além disso, ouro também aparece na Bolsa em forma de ETF!

Índice que segue: iShares Gold Trust

Busca representar: Performance do preço do ouro, em dólar

 

DIVO11  – O ETF DE DIVIDENDOS

Índice que segue: Índice Dividendos IDIV

Busca representar: Performance das melhores pagadoras de dividendos da Bolsa

Carteira: 

 

Fonte: Gráfico próprio com dados da B3

SMAL11 – O ETF DE SMALL CAPS

Índice que segue: Índice Small Caps SMLL

Busca representar: Resultado de empresas brasileiras de baixa capitalização de mercado

Carteira: 

Fonte: Gráfico próprio com dados da B3

 

VALE A PENA INVESTIR EM ETFs?

Agora que você já conhece melhor os ETFs e entende como eles funcionam, talvez já esteja pensando em adicioná-los à sua carteira…

 

Aprenda a gerar dividendos e planejar seus investimentos!

 

Porém, é importante lembrar que ETFs são ativos de renda variável, que apresentam riscos, e que devem compor seu portfólio de forma planejada e inteligente.

Se você tem interesse em um acompanhamento profissional para montar sua carteira e, quem sabe, investir em ETFs, temos o que está precisando!

A Faz Capital conta com um time de assessores profissionais de investimentos muito bem treinados para ajudar todos os nossos clientes a investirem de forma personalizada para seus objetivos!

Dessa forma, todas as decisões financeiras que você fizer terão uma segunda opinião especializada para te deixar tranquilo com seu patrimônio!

É só apertar aqui para falar conosco!

5/5 - (1 vote)

Conteúdos relacionados

Preencha o formulário para iniciar o download